O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

Expresso do Oriente

Expresso do Oriente

Todos a bordo

Todos a bordo

Restauração e colorização de fotografias.

Restauração e colorização de fotografias.
Caros amigos sem véus e com véus. Com muito gozo divulgo os valiosos préstimos profissionais do meu estimado amigo Reinaldo Elias, que tornou-se um tarimbado especialista em restauração e colorização de fotografias. Pelo criterioso trabalho, que envolve pesquisa e arte os preços cobrados pela restauração e colorização são módicos. Para solicitarem os valiosos préstimos profissionais entrem em contato com o meu querido amigo através do endereço eletrônico: rjelias200@yahoo.com.br Meus outonais olhos estão em água ao lembrar do já distante ano de 1962, quando minha amada e saudosa mãe me levou a uma filial das Casas Pirani, que ficava na Avenida Celso Garcia, para que seu bebezinho nº 6 fosse eternizado nesta fotografia. Embarcamos num trem de subúrbio, um reluzente trem prateado, na Estação de Santo André e desembarcamos na Estação paulistana do Brás. Lembro como se fosse hoje que levei um beliscão da minha genitora, porque eu queria a todo custo embarcar num bonde para chegar as Casas Pirani. Como eram poucas quadras de distância fomos caminhando até o paraíso do consumo. Saudades das Casas Pirani... Ontem, contei ao meu dileto amigo Gilberto Calixto Rios da minha frustração de nunca ter embarcado num bonde paulistano, que para o meu profundo desencanto teve a última linha desativada no ano de 1968, quando estávamos no auge dos nefastos e malditos anos de chumbo. No ano que fui eternizado nesta fotografia fazia sucesso estrondoso na fascinante Arte das Imagens em Movimento a película "Rome Adventure", aqui intitulada "Candelabro Italiano": https://www.youtube.com/watch?v=yLqfxLPga2E que assisti no extinto Cine Carlos Gomes, na condição de vela zeloso das minhas amadas irmãs mais velhas, a Dirce Zaqueu, Jô Oliveira e Maria Inês. Também no ano de 1962 minha diletíssima e saudosa cantora Maysa (1936-1977) deixava sua legião de fãs enternecida com a canção: https://www.youtube.com/watch?v=BeJHOAbkJcg Mãe, sempre te amei, amo e amarei. Saudades... Saudades... Saudades... Caloroso abraço. Saudações emocionadas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços, com muita imaginação e com muito gozo. PS - Apesar dos pesares acho que continuo um petiz sonhador e esperançoso de um novo dia aos moldes da inesquecível personagem Scarlett O' Hara... Max, traga meus sais centuplicado.

Miniconto

Miniconto
Depois que minha neta me eternizou nesta fotografia o telefone tocou. Ao atender a ligação fiquei aterrorizado ao reconhecer a voz de Hades...

Mimo da Monika

Mimo da Monika
O que nos espera na próxima estação?

A viagem continua

A viagem continua
O quie nos espera na próxima estação?

Lambisgoia da Agrado

Lambisgoia da Agrado
Caros confrades/passageiros sem véus e com véus. A lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, me surpreendeu porque não a vi trepar (nem preciso dizer que ela adora o outro significado deste verbo principalmente no presente do indicativo) no topo da locomotiva para se exibir e me ofuscar. Caloroso abraço. Saudações exibidas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços e com muita imaginação.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br
Caros confrades passageiros. O pertinaz duende Himineu, que trabalha - com muito afinco para o Todesca - captou e eternizou o momento que a lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, estava reflexiva a apreciar a paisagem no vagão restaurante do Expresso do Oriente sob meu comando. Caloroso braço. Saudações reflexivas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r
Todos a bordo... A viagem continua...

Blogs todeschinianos

Blogs todeschinianos
Fonte: arqtodescadois.blogspot.com.br "Sonhei que o vagão joaopauloinquiridor.blogspot.com havia caído de uma ponte que ruíra... Mas, foi só um pesadelo..." Caros confrades/passageiros! Não me canso de divulgar os imperdíveis blogs do Todesca: arqtodesca.blogspot.com.br arqtodescadois.blogspot.com.br que são Oásis num deserto de alienação cibernética. É louvável a pertinácia deste notável, tarimbado e erudito ser vivente, que brinda seus felizardos leitores com ecléticas publicações que deixam patente sua vasta erudição e bem viver. Caloroso abraço. Saudações todeschinianas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Continuo a espera de Godot...

Continuo a espera de Godot...
Saudações dionísicas.

Saudações leitoras.

Saudações leitoras.

Seguidores

sábado, 31 de dezembro de 2016

Miniconto

Nobilíssimo pintor inglês Abraham Solomon (1823-1862).
Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br

Sir João Paulo de Oliveira estava confortavelmente instalado numa cabine de um vagão do trem, que partiu de Cambridge com destino a Londres. Ele estava acompanhado do Lorde Luiz Bortolo e de sua formosa filha, a Lady Maria Cristina Fonseca. O Sir João Paulo estava jubiloso, porque o Lord Luiz Bortolo anuiu seu noivado com sua pudica filha primogênita. O Lorde Luiz teve três filhas e cinco filhos e a existência da sua amada esposa cessou, após longo sofrimento advindo do parto do último filho que sobreviveu.
Eles eram súditos da Rainha Vitória (1819-1901) e viviam em Londres.
Após as núpcias os nubentes fixariam residência na Índia, porque o Sir João Paulo era Almirante da Marinha Britânica. Para grande desgosto do genitor da Lady Maria Cristina, os nubentes morreram num naufrágio quando singravam o Cabo da Boa Esperança...

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Natalício da Marilia Sirolli

Foto da lavra de um dos regidos da Marilia Sirolli do ano letivo de 2004.
Caros amigos.
O dia em curso é memorável, porque neste glorioso dia do ano de 1950, este maltratado e fascinante mundo que vivemos teve a prerrogativa de ver chegar à luz um ser vivente radiante, que é minha querida amiga-irmã e parceira de ofício Marília Sirolli. Enquanto ela chorava, mamava, dormia, ficava asseada e cheirosa, graças aos cuidados intensivos da sua amada e extremosa mãe, fazia sucesso estrondoso na fascinante Arte das Imagens em Movimento a película “A Malvada”:

e as moçoilas enamoradas suspiravam aguardando seu Príncipe Encantado ao ouvirem a canção:

A Marília é uma pessoa autêntica, amorosa, solidária, exímia regente e, acima de tudo, uma pessoa justa, que deprecia sobremaneira injustiça e fica exasperadíssima e defende – com destemor – seus amigos quando sabe que são injustiçados.
Conheci a Marília quando solicitei remoção para um Escola da municipalidade paulistana, onde ocupava o Cargo de Coordenador Pedagógico. Tinha grande satisfação de mediar e facilitar seu labor pedagógico, porque ela é um exemplo de regente que cumpre – com primor – sua função precípua, que é instigar seus amados e felizardos regidos a terem amor pelo conhecimento. Que saudades que dá das visitas pedagógicas que fazia a sua sala de aula e ao adentrar no recinto da Fada Glinda me deparava com aulas bem planejadas e regidos sempre entretidos nas atividades propostas pela Fada Glinda, como chamava a Marília, para o gozo mor dos seus regidos, que ficavam encantados quando dizia que sua regente na verdade era uma fada e, mais ainda, quando eu fazia um gesto com a mão na cabeça dela e, previamente combinado, ela fazia de conta que não ouvia nada... Neste ínterim, eu falava mal e bem da Fada e os regidos nem piscavam quando eu dizia que durante a noite a Fada Glinda ia visitá-los para tocá-los com sua varinha de condão, com o escopo de terem uma noite repousante... Que saudades destas memoráveis aulas da minha querida amiga-irmã, Marília Sirolli.
Marília, lembra que na coxia eu dizia que você era uma fada safada?
Marília, sempre te amei, amo e amarei.
Feliz Natalício.
Desejo-lhe vida longa, vigorosa e repleta de acontecimentos auspiciosos.
Que a Padroeira do Pito Aceso a tenha como pupila sempre!
Caloroso abraço. Saudações natalícias.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Miniconto


Foto: Diego Vargas.


Depois que fui eternizado nesta fotografia aspirei 5 pitadas de pó de pirlimpimpim que a boneca Emília me deu e - quando abri os olhos - me dei conta que era um dos felizardos partícipes da inauguração do Museu Paulista, no memorável dia 7 de setembro de 1895. Também foi neste memorável dia que conheci a Marilia Sirolli e Maria Cristina Fonseca. Nossa, como elas eram formosas!
Depois do palpitante colóquio que mantivemos combinamos nos encontrar novamente, na semana seguinte, no Jardim da Luz, mas durante a semana os efeitos do pó de pirlimpimpim cessaram de supetão e retornei no momento que fazia pose para que meu amigo Diego me eternizasse nesta fotografia na visita derradeira que fizemos ao Museu da Energia...

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Outro viés...

Professor - para tentar atenuar a solidão - que tal singrar os sete mares, a bordo do Quenn Elizabeth, numa viagem de 120 dias, sob a égide de Netuno?

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Comparação

Caros confrades passageiros.
Na contemporaneidade subimos e descemos ou descemos e subimos a Serra do Mar pelo Sistema Anchieta Imigrantes - SAI - a bordo das nas nossas possantes máquinas rodantes, no trajeto de São Paulo a Santos ou vice-versa, num exíguo período de tempo de aproximadamente uma hora, quando estamos sob a égide da Padroeira do Tráfego Normal...
Fico cá a divagar como meus ascendentes do tempo do degredado, aventureiro e promíscuo João Ramalho (1593-1580), faziam este trajeto em condições inóspitas, num período de tempo, na melhor das hipóteses, em menos de uma semana...
Max, traga meus sais centuplicado diluídos numa xícara de chá de comparação.
Caloroso abraço. Saudações comparativas.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Tentativa de assalto


Caros confrades passageiros.
Estou absorto na leitura do livro O Desejado, da lavra do escritor baiano Aydano Roriz, que discorre sobre o tempo de vivência do inesquecível rei Dom Sebastião (1557-1578), O Desejado.
O livro já deu liga e me fisgou...
Estou na página 85 e ao ler um parágrafo da página 65 - sai da minha zona de conforto - porque, até então, não sabia que os colonos da Vila de Santo André da Borda do Campo tentaram assaltar o colégio dos jesuítas, localizado na Vila de São Paulo de Piratininga.
Fiquei intrigado com esta tentativa de assalto, porque no tempo da Maria Cachucha:
 
quando eu cursava o 4° ano do antigo curso primário, no ano que a existência da nobilíssima poetisa Cecília Meireles cessou, meu saudoso regente, o Sr Benedito, disse que a Vila de Santo André da Borda do Campo foi extinta algum tempo depois da criação da Vila São Paulo de Piratininga, para proteger os habitantes dos ataques dos nativos.
Fico cá a divagar sobre os habitantes da extinta Vila de Santo André da Borda do Campo se de fato todos eram colonos ou também tinha nativos e petizes mamelucos...
Max, traga meus sais centuplicado diluídos numa xícara de chá mameluca.
Caloroso abraço. Saudações aprendizes.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, commuita imaginação, autenticidadee gozo.

domingo, 25 de dezembro de 2016

A infinda busca do conhecimento

Foto da lavra do Gilberto Calixto Rios
Foto da lavra do Gilberto Calixto Rios.
"O conhecimento começa na ignorância, e gera novo conhecimento que gera mais ignorância."
Marcelo Gleiser
Caros confrades passageiros.
Tenho grande apreço pelo sapiente cientista, o nobilíssimo Marcelo Gleiser. Já li todos os livros de sua lavra e também era leitor dominical da coluna que ele escrevia na Dona Folha. Infelizmente não tenho mais esta prerrogativa, porque a Dona Folha deixou de publicar a coluna e prometeu artigos eventuais no Caderno Ilustríssima, mas - infelizmente - cada vez mais raros...
Na semana passada terminei de ler seu último livro -recém saído do prelo - e, como sempre, me fisgou desde a primeira página e, melhor ainda, além de me tirar da minha zona de conforto, as considerações irretocáveis que ele fez sobre o incognoscível deixou-me propenso a rever meu posicionamento quanto a minha incredulidade, porque ele me convenceu que quem se diz incrédulo está a professar uma crença. Isto posto, como dizia o nobilíssimo e saudoso cientista Carl Sagan (1934-1996): "A ausência de evidência não é evidência de ausência". Isto posto, como o Marcelo diz no seu livro "A Ilha do Conhecimento": "Quanto mais o conhecimento avança mais aumenta o mar do desconhecido". Desde modo torno de domínio público que estou mais propenso ao agnosticismo do que para a incredulidade.

Prezado Marcelo Gleiser.
Muito obrigado por me instigar a rever meus conceitos e ficar cada vez mais convicto que a busca do conhecimento é infinda.
Caloroso abraço. Saudações infindas.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

sábado, 24 de dezembro de 2016

Fugaz interstício

Caros confrades passageiros.
A vida é um fugaz interstício do nada ao nada.

http://www.virandobixo.com.br/noticias/NOT,0,0,954211,Nietzsche+niilismo.aspx

Caloroso abraço. Saudações niilistas.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Imperdível espetáculo terpsicoreiano

Caros confrades passageiros.
Juro pela castidade da odiosa Megera de Queluz (1775-1830), que não tenho inveja dos felizardos espectadores que estavam na plateia deste imperdível espetáculo terpsicoreiano.
Caloroso abraço. Saudações terpsicoreianas.
Até breve...
João Paulo de Oliviera
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Bem patrimonial ameaçado de demolição

Caros confrades passageiros.
A luta para preservação de bens patrimoniais é infinda...
Caloroso abraço. Saudações patrimoniais.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Herança


Fonte: arqtodescadois.blogspot.com.br

Caros confrades passageiros.
Passei minha infância e adolescência como espectador de contendas familiares memoráveis por conta de heranças...
Para minha geração somente restou os traumas das contendas...
Max, traga meus sais centuplicado diluídos numa xícara de chá de ambição.
Caloroso abraço, Saudações ambiciosas.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Acero Documental do nobilíssimo historiador Wanderley dos Santos (1951-1996)

Caros confrades passageiros.
Na manhã do dia em curso fui, na companhia da Alice, à Seção de Pesquisa e Documentação da municipalidade são-bernardense, com o escopo de tornar um fato a doação do Acervo Documental do meu saudoso amigo, o historiador Wanderley dos Santos (1951-1995), porque a viúva do meu saudoso amigo, a Rosi Zotelli Dos Santos e filhos Hosana, Elidia Zotelli e Wanderley José, me nomearam Depositário do Acervo Documental, com a incumbência de separar os documentos de interesse público, daqueles de interesse dos seus entes queridos e, depois desta tiragem, me deram anuência para doar a uma entidade ligada a memória. Como em vida o nobilíssimo historiador externou para o gestor da SPE, o sociólogo Jorge Magyar, o desejo que sua vasta documentação ficasse sob a proteção da Seção de Pesquisa e Documentação fui intercessor para, depois de quase 21 anos da sua partida, cumprir seu desejo.
Estava em meu poder este precioso Acervo Documental desde o mês de outubro, mas torno de domínio público que foi muito difícil bulir nesta documentação, porque ele era tão organizado que arquivava todas as missivas que recebia, bem como tirava cópias das enviadas.
No ato da doação tivemos a deferência de contar com a presença do jornalista e escritor Ademir Medici, incansável paladino em prol da nossa combalida memória, além de assíduos frequentadores da roda Conversas de Memória, promovida pela Casa da Memória, como carinhosamente nossa querida amiga, a radiante "batateira" Divanir Bellinghausen chama a Seção de Pesquisa e Documentação, como por exemplo, a Hilda Breda, Vicente D'Ângelo, consorte da atuante Elexina Medeiros D'Angelo, João de Deus, Eliene Santos Amaral, Jorge Jacobine, Rodolfo, Dulce, Flora, que abrilhantaram o ato de doação.
O Acervo Documental doado para passará por uma triagem pelos competentes funcionários da SPE e a seguir serão digitalizados e disponibilizado ao público em geral. O pertinaz Jorge Magyar disse que depois da triagem e digitalização poderá fornecer cópias de documentos que são de interesse a outras cidades da regiao do Grande ABC, bem como Franca e Instituto Histórico e Geográfico, que o Wanderley era membro muito participativo.
Agradeço a confiança que a Rosi Zotelli Dos Santos e filhos me deram para bulir no Acervo Documentação do Wanderley, porque como escreveu a minha querida amiga Rosi Zotelli Dos Santos, quando soube que estava a caminho da SPE:

"Rosi Zotelli Dos Santos Fico feliz em saber que meu saudoso esposo, jamais será esquecido. Obrigada por tudo João..espero que usem com muito carinho tudo que ele guardava com muito amor."
Meu outonais olhos ficaram em água ao ler esta enternecedora mensagem da Rosi Zotelli Dos Santos, que foi uma esposa extremosa e mãe e avó dedicadíssima.
Parece que vejo o sorriso discreto do meu saudoso amigo...
Wanderley que saudades de você...
Caloroso abraço. Saudações enternecidas.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Película inesquecível

Caros confrades passageiros.
No sábado passado, quando fui eternizado nesta fotografia, na Pousada dos Pescadores, que fica no subdistrito de Riacho Grande, que pertence ao município de São Bernardo do Campo-SP, lembrei da imperdível e inesquecível pelicula "The Sound of Music", aqui intitulada A Noviça Rebelde de 1965.
Lembro que assisti esta película pela primeira vez no extinto Cine Praiano, que ficava na cidade de Guarujá, quando passava férias na casa da minha saudosa tia paterna Antônia de Oliveira Salera (1926-2003).
Saudades da tia Antônia...
Caloroso abraço. Saudações saudosas.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Encerramento das reportagens alusivas aos natalícios das cidades de Diadema e Mauá

Caros confrades passageiros.
Parabenizo o escritor e jornalista, Ademir, incansável paladino em prol da nossa combalida memória, pela publicação da série de reportagens alusivas aos natalicíos das cidades de Diadema e Mauá.
Ele encerrou a série de reportagens com chave de ouro.
Caloroso abraço. Saudações diademenses mauaenses.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo

domingo, 18 de dezembro de 2016

Lambisgoia da Agrado

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br

Caros confrades passageiros.
O pertinaz duende Himineu, que trabalha - com muito afinco para o Todesca - captou e eternizou o momento que a lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, estava reflexiva a apreciar a paisagem no vagão restaurante do Expresso do Oriente sob meu comando.
Caloroso braço. Saudações reflexivas.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Nobilíssimo cientista

"A ausência de evidência não é evidência de ausência."
Carl Sagan (1934-1996).

Caros confrades passageiros.
Que falta faz o nobilíssimo cientista Carl Sagan, que deixou marcas indeléveis entre nós e, certamente, será lembrado nas gerações do porvir, como um ser vivente, que viveu no século XX, que tinha mente brilhante, não usava véus e tinha como condição "sine qua non" a busca infinda do conhecimento.
Caloroso abraço. Saudações evidentes.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Meus bisavôs paterno e materno

Caros confrades passageiros.
Que júbilo mor saber que a memória dos meus bisavôs paterno e materno foi eternizada na Página Memória, publicada diariamente no periódico Diário do Grande ABC.
O jornalista e escritor Ademir Medici, um incansável paladino em prol da nossa combalida memória, presta relevante papel à memória regional.
Desde a época que falávamos a Língua Geral meus ascendentes já estavam estabelecidos aqui.
Caloroso abraço. Saudações memorialistas.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Livros

Caros confrades passageiros.
O que seria da nossa existência sem os livros?
Max, traga meus sais centuplicado diluídos numa xicara de chá de conhecimento.
Caloroso abraço. Saudações leitoras.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Bom dia e boa semana!

Caros confrades passageiros.
E assim continuo a espera de Godot...
Será que nesta semana ela chega?
Max, traga meus sais centuplicados diluídos numa xícara de chá de esperança.
Caloroso abraço. Saudações esperançosas.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

domingo, 11 de dezembro de 2016

Memória diademense

Caros confrades passageiros.
Que júbilo mor saber que a memória dos meus bisavôs paterno e materno vieram à baila na Página Memória, do dia em curso.
Caloroso abraço. Saudações diademenses.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

PS - Esclareço meus amigos que não são da Região do Grande ABC, que são chamados carinhosamente de "ceboleiros" e  "batateiros" os cidadãos nascidos - respectivamente nas cidades paulistas em Santo André e São Bernardo do Campo.

sábado, 10 de dezembro de 2016

Miniconto


Depois que minha neta me eternizou nesta fotografia o telefone tocou. Ao atender a ligação fiquei aterrorizado ao reconhecer a voz de Hades...

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

A Semana Mauá&Diadema continua

Caros confrades passageiros.
A Semana Mauá&Diadema continua no periódico Diário do Grande ABC, na Página Memória da lavra do escritor e jornalista Ademir Medici.
O nome correto do meu bisavô paterno era José Pedroso de Oliveira e a fotografia da Parada Bom Jesus é de autoria do meu estimado primo Fabio Fabbrini.
Caloroso abraço. Saudações mauaenses diademenses.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Natalícios das cidades de Diadema e Mauá

Caros confrades passageiros.
No dia em curso duas cidades da Região do Grande ABC, Diadema e Mauá comemoram suas emancipações políticas
- respectivamente - de São Bernardo do Campo e Santo André.
O escritor e jornalista Ademir Medici, incansável paladino em prol da nossa combalida memória, inicia na Página Memória, a partir de hoje, série de reportagens alusivas as duas pujantes cidades emancipadas.
Para meu gozo mor o Ademir me escolheu e mais um munícipe para darmos nossos vieses sobre a nossa amada cidade de Diadema.
Caloroso abraço. Saudações diademenses.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Márcio Vinícius de Oliveira Pereira

Caros confrades passageiros.
Meu amado neto, Márcio Vinícius de Oliveira Pereira, foi eternizado nesta fotografia, no dia 26 de outubro do ano em curso, na EMEB Prof. Evandro Caiaffa Esquível, onde está matriculado na Fase I da Educação Infantil.
Desejo que ele seja um leitor voraz, cidadão pleno e atuante, sempre em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo!
Também desejo que o século XXII o receba garboso e vigoroso!
Caloroso abraço. Saudações marcionetes.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Memória

Caros confrades passageiros.
Apreciei sobremaneira saber que o alcaíde eleito de São Bernardo do Campo também cultua a memória.
Caloroso abraço. Saudações memorialistas.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Dom Pedro II (1825-1891)

Caros confrades passageiros..

No dia em curso completa 125 anos que a existência do meu amado Imperador Dom Pedro II (1825-1891) cessou, em Paris, onde o Magnânimo estava exilado.

Este meu nobre patrício deixou marcas indeléveis entre nós e, para seu profundo desgosto, os republicanos decretaram que ele fosse para o exílio, após a Proclamação da República.

Toda honra e toda glória para o Imperador Dom Pedro II!

Caloroso abraço. Saudações magnânimas.

Até breve...

João Paulo de Oliveira 

Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.



PS - Meu amigo Miguel Zioli parece com o Imperador.

Seriado televisivo


Caros confrades passageiros.

Por Chronos, como o tempo urge...
Parece que o ano de 1968 foi ontem...
Saudades da...

Caloroso abraço. Saudações televisivas.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

domingo, 4 de dezembro de 2016

Saudades



Caros confrades passageiros.
Se meus saudosos pais, o Sr. Benedito de Oliveira (1919-1997) e a Sra. Matilde Matilde Pinheiro de Oliveira (1923-2008), estivessem entre nós 
completariam - no dia em curso - 75 anos de matrimônio.

Pai, que saudades da sua risada estrondosa.

Mãe, que saudades do seu imenso amor.

Sempre os amei, amo e amarei.

Seu filhinho desolado e desamparado...

Caloroso abraço. Saudações saudosas.

Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.


Miniconto

Minconto da lavra do meu amigo e confrade memorialista Gilberto Calixto Rios​.

"O Experiente piloto do Titanic, John Paul Oliver, confiante em conduzir sua máquina navegante até o porto de New York, mal sabendo o que o destino cruel lhe reservaria naquele noite!!"

sábado, 3 de dezembro de 2016

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Indicação de leitura

"O sentido da vida é buscar por sentido da vida".
                                                Marcelo Gleiser

Caros confrades passageiros.
Sou fã de carteirinha do nobilíssimo cientista Marcelo Gleiser.
Estou apreciando sobremaneira o último livro de sua lavra que, como sempre acontece quando leio seus imperdíveis livros, me tiram da minha zona de conforto.
Caloroso abraço. Saudações marcelogleiserianas.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, co muita imaginação, autenticidade e gozo.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Amizade virtual

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br
Bonde 1928.

Caros confrades passageiros.
O mundo cibernético me possibilita estreitar laços de amizade com pessoas, que - a princípio - penso que estão na minha 
sintonia - Cultura FM 103.3 - mas depois constato que elas desembarcam como as peçonhentas e mal amadas senhoras de Santana, de supetão...
Caloroso abraço. Saudações decepcionadas.
Até breve...
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sme véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

72º Natalício da emancipação política de São Bernardo do Campo


Caros confrades passageiros.

Tive uma manhã memorável!

A seguir transcrevo o texto da minha estimada amiga, a atuante "batateira" Elexina Medeiros D'Angelo:



"Comemorando os 72 anos da emancipação política de São Bernardo, que por cinco anos ficou sob o domínio de Santo André. Mesmo debaixo da chuva fina, fomos para a Praça Lauro Gomes e até improvisamos um coral para cantar o hino da cidade ! Nas fotos, o último grupo a se retirar, com o organizador Ademir Médici, do Diário do Grande ABC, o padre Ervino, João Paulo de Oliveira, José Luiz Salata, Olga Guazzelli, Hilda Breda, Fernando D'Angelo e o prefeito eleito Orlando Morando. Parabéns para os moradores de S. Bernardo!"



Caloroso abraço! Saudações "batateiras"!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

PS - Para quem não é da Região do Grande ABC explico que "batateiro" e "ceboleiro" são formas carinhosas de designarmos os são-bernardenses e os andreenses.

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Indicação de leitura

Caros confrades passageiros.
Já encomendei um exemplar do livro recém saído do prelo, da lavra do meu amigo ADhemyr Fortunatto.
Recomendo que reservem jáseus exemplares, porque a lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê disse, o pai do Bodão Cornélio não para de receber pedidos de encomendas.
Que tal darmos de mimo para nossos amigos um exemplar deste livro;
Caloroso abraço. Saudações cornelianas.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

PS - O autor confia nos seus leitores, porque somente após receber, através do Estafeta do Imperador o exemplar do livro, o leitor pagará o valor do livro mais o frete.

domingo, 27 de novembro de 2016

Belmira Pedroso (1900-1985)

Caros confrades passageiros.
Senta que lá vem história, como diz minha cara amiga Juju Ferreira.
Apesar da minha incredulidade não consigo
explicar - racionalmente - o que aconteceu comigo, quando estava sob a égide de Morpheu, na noite passada, porque tive um sonho que parecia tão real, mas tão real, que me deixou reconfortado, mas ao acordar fiquei desalentado em constatar que era apenas um sonho o que achei que era realidade.
Sonhei que estava na casa que me viu chegar à luz, no dia 29 de abril de 1953, às 11h08, que ficava na Rua Javaés nº 182, Vila Assunção , Santo André, com minha mãe, irmão e irmãs e 

de repente - para minha alegria - vejo adentrar na sala radiante, garbosa, vigorosa e elegante, a saudosa avó materna, a Sra. Belmira Pedroso (1900-1985).
Eu não acreditava que via na minha frente em carne e osso, a avó Belmira, mas era mesmo ela!
Eu disse:
- Bênça vó, hoje a Senhora completa 116 anos, mãe, Raimundo, Dirce Zaqueu, Judite, Maria Inês e Valquíria, vamos cantar parabéns para a vó Belmira.
E assim fizemos, para nosso grande júbilo. Até minha saudosa mãe, a Sra. Matilde Pinheiro de Oliveira (1923-2008) estava a sorrir, o que raramente acontecia...
O mais intrigante é que a avó Belmira nada dizia apenas sorria, sorria, sorria...
Feliz Natalício, vó Belmira, enquanto este seu neto, 6º bebezinho da Dona Matilde, sua filha primogênita, viver a Senhora jamais será esquecida.
Bênça vó Belmira. no dia 18 do mês vindouro completará 31 anos que seus despojos mortais estão no Sepulcrário de Vila Euclides.
Que desalento saber que o reconfortante sonho não pode ser real.
Meus outonais olhos estão em água...
Caloroso abraço. Saudações saudosas.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Google+ Badge